segunda-feira, 24 de março de 2014

BAVI - Que não vale nada

Galera Rubro-negra,

Perdemos mais um BAVI sob o comando do nosso Técnico Ney Franco. O primeiro BAVI perdido foi pelo campeonato Brasileiro de 2013. Para eles, uma questão de honra. Vários gerações assistiram em 2013 duas surras jamais vista(5X1 e 7X3). Desde a década de 70 pra cá, nunca  eles foram tão humilhados. A vitória no 2o. semestre fez acender uma chama de possibilidade para se ter uma alegria, e eles tiveram.

O BAVI de ontem voltou alimentar essa chama, acham eles que os tempos de vitórias sobre o nosso Clube voltaram. Pobres torcedores do Jaía. Um jogo que não valia nada, talvez para alguns da nossa Equipe um esforço maior fosse desnecessário. Concordo com a maioria dos torcedores; o Leão não jogou o que sabe, por esta razão perdeu o jogo. Sinceramente, não me abalou. Um jogo que voltou a mostrar os nossos erros e chamar a atenção,  a Luz amarela(atenção) esta acesa.

Para esta semi-final a postura terá que mudar. Com a saída da Copa do Nordeste de uma forma prematura,  repetimos a perda monetária do ano passado. Agora, só nos resta ganhar esse Baianão. Torneio deficitário mas uma questão de honra. Contratações vão ocorrer, mas para a Copa do Brasil e Brasileirão. O Ney Franco esta com crédito, não podemos desistir dele agora, ele tem um projeto para o nosso Clube de conquistas Nacionais e precisamos continuar do lado dele.

Jaía!, acabou. Venceu o que podia vencer, agora será para pirão.

Cesar Senna



domingo, 12 de maio de 2013

Ahhh!!!, sete, sete, sete, sete, sete, sete, setêeeeee!!!!!!!!!

O Leão deu um grande presente para todas as Mães da Bahia. Já fora da Páscoa, enfiou mais um chocolate no timeco do Jaía, 7x3. Um placar justíssimo para uma Equipe que apresentou um esquema tático difícil de ser batido. Parabéns, Caio Júnior. Você mostrou que deve permanecer para a primeira fase do Brasileirão.

O mais interessante é que há uma semana (sábado passado), esse mesmo Jaía havia vencido o Juazeiro, em Juazeiro, pelo placar de 1x0. E o Vitória (com um time misto) havia perdido por 2x0 para a Juazeirense. Já a nossa "maravilhosa" imprensa esportiva baiana chamava a atenção ao nosso time, que ele poderia ser surpreendido na Arena Fonte Nova, porque o Jaía já apresentava melhoras.

Cara, conversa para boi dormir; O Jaía havia vencido o Juazeiro por duas vezes às duras penas e esse mesmo Juazeiro já não havia expressado nenhuma situação real de perigo. Já o nosso time estava jogando com a segunda melhor equipe do Campeonato. Essa equipe já havia mostrado em campo porque chegou a esta condição. Pois bem, como todos já sabem, havíamos ganho no Barradão com folga, como já disse, fomos para Juazeiro com o time modificado (e com razão), eu faria o mesmo, caso fosse o técnico. Perdemos, perdemos porque podíamos perder e não era necessário tamanha exposição. Só a nossa imprensa não enxergou isso e, ao término da partida, culpou o técnico, arrotou pelos quatros cantos da cidade que a metade da torcida do Vitória não gosta do técnico Caio Junior, uma mentira!... Isso é uma maneira que eles enxergam para desestabilizar o grupo. E a prova esta aí, calamos esses tricoloridos dos microfones que dizem, inclusive, não ter time para torcer. O Caio Junior está prestigiado, sim, os números estão ao seu favor, sim, e de todos que passaram por aqui nos últimos cinco anos, pelo menos em relação ao Baianão, foi o que mais nos deu alegria.

Agora é aguardar a final na próxima semana, procurar jogar da mesma forma que atuamos neste domingo, fazer alguns gols (o suficiente que a partida permita), e nos consagrarmos Campeões. Um título justo para a equipe que melhor investiu, investiu com qualidade e mostrou que está no caminho certo para fazer um bom trabalho no Brasileirão. Lembrando que o Jaía não é mais parâmetro para medir as nossas forças para o Brasileirão. Temos que melhorar, temos que contratar. Sobre isso voltarei a falar depois do término do Baianão.

-VAMOS LEÃO, VAMOS SER CAMPEÃOOOO!!!!


Cesar Senna

domingo, 7 de abril de 2013

CHOCOLATE COM CERVEJA

Congratulações Rubro-Negas!

Nesta data histórica, 07 de abril de 2013, no mês da Páscoa, foi inaugurada a Arena Itaipava Fonte Nova.

Os protagonistas deste novo espaço esportivo proporcionaram um único vencedor, o melhor, o mais organizado, o de toque de bola refinado. Placar final, Vitória 5 X 1 Bahia. Uma comemoração com duas paixões do torcedor baiano, Chocolate com Cerveja. FANTÁSTICO!

Eu fui um cara que sempre torci para que o meu time tivesse o profissionalismo, a raça, o toque refinado portenho com a ginga brasileira. E os hermanos Maxi Biancucci e Escudero foram a diferença. Não que os demais não fizessem as suas partes, pelo contrário, o grupo todo estava unido e todos eles um só pensamento, a vitória. 

Tive o cuidado de verificar os principais sites e sites de jornais locais para ver como eles postaram esse grande jogo. Vamos a eles:

 1. YAHOO - "Na reabertura da Fonte Nova, o Vitória humilha o Bahia". (www.yahoo.com.br)
 2. UOL - "Técnico do Bahia Pede demissão após time ser goleado pelo Vitória". (www.uol.com.br)
 3. LANCENET - " Vitória humilha o Bahia na reabertura da Fonte Nova ". (www.lancenet.com.br)
 4. FUTEBOL INTERIOR - "Massacre na Fonte Nova custa o emprego do técnico do Bahia". (ww.futebolinterior.com.br)
 5. JORNAL A TARDE - "Vitória goleia o Bahia na inauguração da Fonte Nova". (www.atarde.uol.com.br)
 6. JORNAL CORREIO DA BAHIA - "Vitória faz 5X1 no Bahia na inauguração da Arena Fonte Nova". (www.correio24horas )

O mais interessante são os títulos das matérias dos nossos jornais locais. Foram muito polidos, não transmitiram nenhuma emoção para um evento dessa magnitude e que foi noticiado, durante toda a semana que passou, por eles mesmos. Qual a diferença destes títulos postados para um clássico como, por exemplo, Moto Club(MA) X Sampaio Correia(MA)? Nenhuma. Não desmerecendo os dois clubes do Maranhão, mas para os baianos sem nenhuma importância. Agora, se a vitória fosse do Jaía eu tenho a certeza que as postagem seriam carregadas de muitas emoções e digo mais, em letras garrafais. É desta forma que eles tratam as notícias com imparcialidade?

Graças a Deus, os outros jornais ou sites com publicações escritas ou pela web levam a emoção desta grande vitória do nosso E.C. Vitória aos quatros cantos do mundo.

Negôooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!

Cesar Senna



quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Por falha da zaga, Vitória perde 1,1 milhão

É isso mesmo! O título do Nordestão proporcionaria aos cofres do Clube um ganho de 1,1 milhões
de Reais. O que dizer do diretor de Futebol do Clube, o Sr. Raimundo Queiroz, que há uma semana
afirmou que por enquanto não contrataria (http://www.ecvitorianoticias.com/2013/02/raimundo-queiroznega-interese-em.html). Ou seja, ele estava redondamente enganado.

É uma temeridade achar que pelo simples fato de ter, do meio pra frente, uma boa equipe - mas do
meio pra trás, uma avenida -, daria para enfrentar equipes medianas. Certamente nos treinos os
atacantes (os muchachos) devem dar um banho de bola nessa defesa. Agora, achar que essa
zaga  daria pro gasto? 

Esta defesa não vingaria nem no Baianão. Aliás, se existe um culpado neste jogo, o nome dele chama-se David Braz. Esse cara "empenou" o meu baba. Os demais, por força da insegurança, foram pro bolo. Foi a zaga toda pro ralo. Agora, Raimundo Queiroz não vai contratar? Aonde você estava que não viu nos treinos e nos jogos oficiais que a zaga precisaria urgentemente de melhorias?

Alguém tem que chamar esse diretor às falas. Ele tem 50% de participação na perda das cifras
citadas acima. Ele tem que encarar o Vitória como ele encarava o clube do coração dele, o Goiás.
Se não for assim, peça o boné e volte para a sua origem.

Entrando no jogo em sí, quem de sã consciência poderia imaginar outro resultado que não fosse a nossa vitória? Um empate estaria dentro da previsão, mas perder, e do jeito que perdeu, duvido que essa possibilidade passasse por qualquer cabeça do torcedor rubro-negro. Uma coisa interessante, ouvindo o programa Grito Rubro-Negro no domingo, houve no último instante do programa, o placar da rodada. Dos ouvintes que enviaram os seus palpites, 80% afirmaram que esta zaga levaria gols. Ou seja, a torcida não confia na zaga do Vitória.

Dois jogadores fizeram a diferença no time deles, o Ricardinho, que pra mim seria um ótimo reserva do Renato Cajá e o "velhinho", o Magno Alves. Principalmente este Ricardinho, esse eu fecharia com ele para o Brasileirão.

Os nossos gringos são muito bons. Alguns dribles do Biancucchi me fez lembrar o bom ponteiro Wilton, já falecido. Precisamos de um bom atacante, insisto em Igácio Scocco (Nells Old Boys-ARG). Um xerifão pra jogar ao lado do Victor Ramos e laterais.

Quanto aos dirigentes, precisam jogar duro com o Raimundo Queiroz, não deixem esse cara solto. Um erro de percurso trouxe ao clube o primeiro prejuízo do semestre. Quem vai pagar essa conta?

Cesar Senna







segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Usar sapato alto também precisa de treino


Por pouco Caio Júnior não culpou também a banda do Olodum pela derrota frente ao Ceará ontem. Em minha opinião, treinador de time que toma mais de dois gols em uma partida em menos de vinte e cinco minutos, deveria se envergonhar de culpar o juiz do jogo, principalmente quando perde inúmeros gols e dá a impressão ao torcedor de que seu time é que goleará.

Não sou um analista técnico tático de futebol, o que entendo mesmo é de torcer, é de paixão pelas cores do meu clube, só que o time do Vitória do meio para trás vem dando mostras de que precisa de uma sacolejada, os erros são os mesmos de sempre. Entra treinador, sai treinador, e a defesa do Vitória do mesmo jeito, zagueiro que não pula nas bolas pelo alto, lateral e “cabeças” de área que não dão o primeiro combate, erros de marcação, o sujeito marca a bola e não o adversário e por aí vai.

Ontem, para completar, os atacantes abusaram de perder gols, um narrador esportivo disse no ar que o Vitória jogaria a tarde e entraria pela noite e não faria gol, dando a entender que estava faltando sorte. Mas para mim é incompetência, desrespeito ao adversário,  clima de já ganhou. Será que não aprendem? Já diziam os filósofos do futebol que um jogo só pode ser declarado ganho após o apito final  do árbitro.

Como torcedor apaixonado, entretanto, eu é que posso reclamar da arbitragem, Sr. Caio Júnior. Fora nossos próprios erros, fomos roubados em pleno Barradão.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Falcão e o "Planejamento Estratégico para 2020"

O nosso Vice-Presidente, Carlos Sérgio Falcão concede uma entrevista ao Portal Bahia Noticias dando ênfase ao Planejamento Estratégico do Clube para 2020. Confira no link abaixo.

http://www.ecvitoria.com.br/noticias/2154-entrevista-bahia-noticias

Cesar Senna

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Recursos

Por onde andam os recursos???
No mês de dezembro de 2012, a imprensa divulgou duas boas notícias para o torcedor do Esporte Clube Vitória. No dia 14 de dezembro, foi apresentada a nota de empenho referente a liberação por parte do Governo Federal da primeira parcela para construção da nova via de acesso Barradão/Paralela, no valor de R$4.943.600,00, e no dia 20 de dezembro de 2012, o Governo do Estado anuncia a liberação da primeira parcela refente ao convênio assinado com o Esporte Clube Vitória, referente a parceria que visa à realização de um projeto para inclusão social, onde serão construídos campos e quadras de futebol e outros recursos que beneficiem a comunidade que vive nos arredores do Barradão.
Pergunto, aonde estão os recursos tão anunciados no mês de dezembro e quando efetivamente vão ter início as obras anunciadas?
Cláudio Mattos.

domingo, 20 de janeiro de 2013

O começo

*O COMEÇO 
Por Rogério Silveira

Isabela sorria graciosamente enquanto tocava ao piano. Sua mãe, Dona Eleonor, já tinha expressado repetidas vezes o quanto desaprovava aquela “graça exibida” da filha, mas como o Coronel Teodato não se opunha, Isabela sorria sem qualquer cerimônia.

No fundo ela sabia da preocupação do coronel em casar sua última filha e dado o estado de coisas da casa, em que o pai jamais lhe obrigara qualquer marido, Isabela via nos encontros de sábado no palacete dos Valente a oportunidade mais que perfeita para despertar algo no coração fechado do recém viúvo Artur. Tocava com alma e sorria com um desespero que a mãe confundia com exibicionismo.

No canto da saleta Artêmio parecia ser o único a perceber todo o cenário. Às vezes achava que Artur também já tinha se dado conta do interesse da moça e apenas a ignorava por completo, mas no mais das vezes via que a tristeza do enlutado irmão não o deixava perceber qualquer outra mulher mesmo uma jovem, solteira, de boa família e lindíssima Isabela.

Fosse o que fosse, Artêmio sentia-se aliviado. Quanto mais Isabela se esforçasse e Arthur a ignorasse, mais o tempo passava e no final, Isabela que já contava com os seus 23 anos terminaria desistindo e essa seria a sua oportunidade de entrar em cena. Quem não tem cão caça com gatos, já diz o ditado e Artêmio já tinha se beneficiado dessa máxima em outras oportunidades.

Artur era mais velho, mas de aspecto muito jovial. Indiscutivelmente mais bonito que Artêmio que encontrava na humildade exagerada o escudo perfeito para se safar com bom humor das piadas nas rodas de amigos desde a época do Marlwood School em Alveston, Inglaterra. “Artur is more handsome even in name”, ou seja, Artur é mais bonito até no nome, costumava dizer.

Mas de tanto lhe fartar belas moças interessadas, na Inglaterra ou na Bahia, Artur obviamente não tinha com todas, o que sempre garantia a Artêmio boas recompensas por ser paciente o bastante para esperar o momento certo de servir de consolo às não contempladas.

Assim esperava funcionar novamente com Isabela, dessa feita com um propósito, digamos, muito mais nobre. Aos 34 anos, Artêmio via na jovem sorridente a consorte perfeita para contrair núpcias.

Tentou, em princípio, atrair-lhe a atenção com cortesia e deferência especiais e com discretos elogios feitos nas raras oportunidades em que puderem estar a sós, geralmente nas despedidas ao final dos encontros de sábado à tarde. Queria, no final, sentir que tinha conquistado Isabela por qualidades próprias e não por ser “o que sobrou”. Mas ao perceber que a iniciativa não surtira o efeito desejado, preferiu retrair-se e esperar.

Naquele domingo poderia ser o início de sua virada na relação com a moça. O team do Victoria que Artêmio fundara com o seu irmão em Maio daquele ano, enfrentaria o combinado dos comerciantes ingleses que promoveram o embate de Críquete em todos os clubes baianos, na rua Chile e até mesmo em uma nota paga no jornal A República. Inglaterra versus Brazil, assim mesmo com Inglaterra na frente trazia a nota convidando o público a comparecer ao “show de cricket no ground do Clube de Nadadores da Graça”.

Artêmio sabia que o coronel Teodato compareceria ao match com toda a família. Sabia que se o Victoria vencesse o coronel desceria para cumprimentar os ganhadores um a um com a esposa e a filha do lado. Sabia que se Artur mais ma vez a tratasse com frieza(o que certamente ele faria), ela terminaria desanimando de vez. E sabia que se logo após apertasse a mão dela com força, dando um jeito de lhe fazer uma carícia na mão ela passaria a enxergar nele uma alternativa interessante.

Todo o plano lhe parecia perfeito, exceto pelo fato dos Ingleses estarem vencendo folgadamente o match por 47 a 12 com mais 5 wickets de vantagem.

O cenário era desesperador para Artêmio. Ainda que conseguisse forçar a continuação do match por mais um dia, tinha certeza que o coronel não apareceria, muito menos com toda a família para um segundo evento da mesma natureza, pois ele detestava exageradas aparições públicas.

O olhar enfadado e entristecido de Isabela das cadeiras do clube o estimulou. Não sabia quando teria outra oportunidade daquelas.

Artêmio foi para a rebatida. Tááác, acertou a bolinha marrom com violência ela voou longe. Pode completar o run tranqüilo diminuindo a diferença para 47 a 20.

Seus companheiros pareciam exaustos e desmotivados e então Artêmio ofereceu-se para fazer outras funções. Deixou o bat de lado e fez as vezes de bowler. Três belos arremessos em seqüência para delírio do público presente, estimado em 200 pessoas o que fez os ingleses protestarem com os oficiais da partida pela manifestação inapropriada da audiência.

De repente, o jogo não estava mais perdido. Mais dois runs ou um batting e poderiam tomar a frente do marcador.

É Artur que vai para bat dessa vez. Isabela se ajeita com mais atenção na cadeira, Artêmio percebe. Pediu perdão aos céus pelo egoísmo, mas torceu por uma batida frustrada do irmão. A boa veio fraca e Artur a acertou bem em cheio. Táááác. Mas o tiro saiu reto e foi parar próximo ao segundo homem não permitindo a Artur arriscar o run.

Na sequência o Victoria vai para o bowling. Sucesso!! Incrível, os brasileiros empatam o match perdido.

Chega o lance decisivo e está nas mãos de Artêmio o batting que pode dar o triunfo redentor. O público se levanta para novos protestos dos ingleses, agora profundamente irritados com a reação inesperada do team preto e branco.

A bola vem rápida, num arremesso preciso. Impressionante quanta coisa pode se passar em menos de um segundo. Artêmio olha para a bola, para o público, vê Isabela, olha atento, pensa num futuro com ela, olho na bola novamente, mãos firmes no bat. Tááááááááááááááááác, acertou em cheio com raiva, paixão, desejo, gana, sede de vitória, entusiasmo pelos ideais do Victória e a bola voa longe, longe muito longe, pela primeira vez num match de Críquete na Bahia para fora do clube e não volta nunca mais!!!

O público delira, num rompante pouco comum ergue Artêmio nos braços. O Brasil vencera, o Victória vencera, o Victória varria a Inglaterra do mapa exageraria o jornal na tarde seguinte.

Isabela estava exultante! Como nas tardes de piano e sorrisos no palacete dos Valente. Enfileirados os jogadores um a um são cumprimentados pelo coronel, esposa e filha. Mais do que apropriadamente Artêmio é o último da fila. Perfeito para os seus planos. Poderia acompanhar a reação de Isabela.

Para a sua surpresa, no entanto, Artur estava extremamente entusiasmado. Abraçou o coronel comovido, apertou com energia a mão de Dona Eleonor e, essa não, cumprimentou com alegria, e jovialidade Isabela. E com as duas mãos!! E ainda sorriu!!

Mas espere, o que teria sido aquilo. Teria sido impressão sua ou Isabela teria lhe dado pouca atenção? Sim, ela cumprimenta rapidamente os demais jogadores e vez por outra lhe dá uma olhadela. Eis que de repente esta jovem bonita e radiante está diante de si, sorriso escancarado esperando que Artêmio diga uma coisa e ele não sabe o que dizer. Sempre decidida, Isabela toma mais uma vez a iniciativa dizendo “parabéns, campeão, você foi soberbo essa tarde!”

Dez meses depois estavam casados Artêmio e Isabela, união que durou por toda a vida. Para dois milhões de pessoas mais de um século depois aquela união representaria muito. Foi por sugestão de coronel Teodato que poucos anos depois o futebol foi introduzido no Club de Cricket Victória. 
*Texto originalmente publicado no Facebook no grupo "Resenha Rubro-Negra"

Penalty

A Penalty apronta mais uma com o Esporte Clube Vitória, uma total falta de respeito. A mesma está divulgando no site de vendas dos produtos do Vitória, os produtos do São Paulo. Será que nossa diretoria de amadores vai tomar alguma posição?? Visitem o link abaixo e verão a pouca vergonha que essa marca esta fazendo o ECV.

http://penalty.dafiti.com.br/vitoria/


http://penalty.dafiti.com.br/vitoria/


Claudio Mattos

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Herrera diz não

O Jogador argentino, Herrera(Ex-Corinthians e Botafogo(RJ) ), diz não ao E.C.Vitória segundo o site UOL(http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2013/01/16/herrera-desmente-negociacao-diz-que-pretende-seguir-no-exterior-e-frustra-vitoria.htm).

Não nego que seria uma grande contratação como também, uma grande atração para 2013.

O que me espanta, é como as noticias no Vitória são vazadas para a imprensa, Essas noticias acabam inclusive, prejudicando alguma negociações em andamento. Isso tem que parar.

O exemplo esta aí; nesta semana, como de surpresa, a diretoria apresentou quatro novos e
bons jogadores. Entendo que é assim que tem que ser.

Se o Herrera não quer vir, problema dele. Apresento aos leitores da BOL, três novos joga-

dores portenhos que poderiam vestir o nosso Manto Sagrado. Confira:

.       Nome                        Clube               País            Acesso


1. Ignasio Scocco          Newell's Old Boys   Argentina    http://www.youtube.com/watch?v=LXnWkX-yB74

---------------------------------------------------------------------------------------------------------
2. Mora                         River Plate               Argentina    http://www.youtube.com/watch?v=1Ygb3n8qcaY
----------------------------------------------------------------------------------------------------------
3. De Lucas Ocampo     River Plate                Argentina    http://www.youtube.com/watch?v=dAZpBQsGVeU
----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Abraços!


Cesar Senna